O Portal do Geólogo
20/11/2017 07:29:02

Mineração: adicionar valor ou morrer tentando...



Publicado em: 1/7/2015 16:14:00

Durante décadas a maioria dos mineradores do mundo, incluindo as gigantes Vale, Rio Tinto e BHP, se restringiram a produzir minério com o menor valor agregado possível.

Quanto muito elas produziam concentrados, deixando para as metalúrgicas o trabalho do refino e da produção de produtos mais elaborados e, obviamente, muito mais caros.

Elas reduziam os custos e amealhavam imensos lucros sem maiores preocupações.

Este foi o modelo usado para o minério de ferro onde as mineradoras venderam bilhões de toneladas de um produto moído, baratíssimo, quase sem nenhum valor agregado, que era transformado nos países importadores como a China, Japão e Coréia em carros, eletroeletrônicos e uma miríade de mercadorias valiosas posteriormente compradas pelo país exportador.

Valor Agregado Minério de Ferro

Se olharmos essas exportações dentro de uma ótica nacionalista a venda de produtos sem adição de valor é um crime lesa-pátria. As mineradoras que estão fazendo essa lavra predatória estão pouco interessadas se a exportação de minério sem valor agregado está acabando com a riqueza de um povo, transferindo bilhões de dólares para os países importadores.

Mas esta depredação das riquezas minerais pode estar chegando ao fim.

O primeiro país a tornar ilegal a exportação de minério sem valor agregado foi a Indonésia.

Apesar da gigantesca campanha movida pelas mineradoras contra o Governo Indonésio e a significativa perda de recursos (perdeu mais de quatro bilhões de dólares no primeiro ano) , o país finalmente ganhou a queda de braço. As grandes produtoras de cobre e níquel se dobraram as leis locais e começaram a investir bilhões em plantas de processamento e metalurgia, tudo em solo da Indonésia.

Entretanto, com a queda dos preços das commodities muitas mineradoras como a Freeport não finalizaram os suas plantas metalúrgicas e solicitaram extensões de prazo e novas cotas para a exportação de concentrados. É uma nova fase da negociação.

Enquanto isso os países exportadores de matéria prime sem valor agregado como o Brasil, Austrália e países africanos, permanecem inertes sem fazer a revolução que a Indonésia corajosamente começou.

Isso obviamente dá força para as mineradoras que continuam a lucrar sem se preocupar com a dilapidação das riquezas minerais dos países onde atuam.

Apesar do modelo Indonésio não ter decolado um novo fator está forçando as mineradoras a adicionar valor aos seus produtos: a crise mundial.

A crise mundial está derrubando os preços das commodities e forçando as empresas de mineração a se adaptar. Todas estão otimizando e baixando custos, mas como estamos vendo só isso não é o suficiente.

Muitas contraíram grandes empréstimos na época das vacas gordas, que agora não mais conseguem pagar.

Todas estão lutando para sobreviver e todas terão que reinventar o business e adicionar valor aos seus produtos.

Ou morrer tentando.

É por isso que a Rio Tinto começa a processar o cobre de outras empresas e que a Vale criou um mega terminal de US$1,4 bilhões para a blendagem do seu minério na Malásia, criando novos produtos personalizados para atender diferentes clientes. A Anglo criou uma nova divisão comercial para a venda de ródio e paládio que anteriormente não eram separados. A Fortescue conseguiu o impensável e está chegando a custos operacionais por tonelada abaixo de US$18, podendo competir em melhores condições com a Vale, Rio e BHP.

Por anos as mineradoras deixaram para as grandes traders como a Trafigura, e Glencore as tarefas de blendagem de minério, refino e comércio, mas isso está mudando em decorrência da crise.

É hora de adicionar valor e isso implica em uma verdadeira reengenharia que irá afetar a geologia, mineração, processo e as demais áreas comerciais.

Em breve veremos as mineradoras procurando joint ventures ou se aventurando na produção de ferro gusa e de aço, tirando das metalúrgicas chinesas, japonesas e coreanas um grande naco do valor agregado.

Da mesma forma veremos vários países proibirem a exportação de produtos brutos, assim como foi feito na Indonésia.

É a lei da sobrevivência aplicada à mineração: se adaptar ou desaparecer.




Autor:   Pedro Jacobi - O Portal do Geólogo

  

 


editoriais geologia minex polemicos    7661

Calcita ótica puríssima
Calcita Ótica - Espato de Islândia totalmente transparente, puríssima garantida pelo Portal do Geólogo

Só para você: veja as matérias que selecionamos sobre o assunto:

Mineração: as melhores apostas de 2016 20/1

S11D, o sonho da Vale, entra em produção 18/1

Exploração mineral: por que investir em zinco? 17/1

A ameaça de Pasadena: a vez e a hora de Dilma Roussef 20/11

Mineração: adicionar valor ou morrer tentando... 3/9

Conselhos ao geólogo recém-formado 8/9

Mineração: quem vai tapar os buracos amanhã? 22/7

Brazil Resources supera 480% no ano: analistas apostam em 1.900% ainda em 2016 18/7

Como a Barrick saiu do buraco e triplicou o seu valor de mercado 15/7

O dilema da Vale 20/6

Brazil Resources: como comprar muito com tão pouco 15/6

Mineração: como destruir 32% de todo o CAPEX investido 6/8

Por que a Vale ainda é uma boa aposta, mesmo com uma dívida de 116 bilhões de reais? 6/7

Vale: Murilo Ferreira na mira de Temer 6/2


O Portal do Geólogo

Geologia e Mineração contadas por quem entende

Desde 27/3/2003
As mais lidas
1 : o início de uma mini era glacial ...
2 : Samarco desastre ou uma oportunidade econômica ...
3 : aguahisteria ...
4 : O que esperar do futuro próximo ...
5 : Geologia Salarios ...
6 : O ouro de Pontes e Lacerda ...
7 : SetorMineral1 ...
8 : deslizamentos ...
9 : mineroduto ...
10 : A ameaça da Vale faz tremer australianos ...
Calcita Extra Âmbar
Raridade à venda: calcita ótica âmbar
Calcita Ótica Puríssima
Espato de Islândia transparente, puríssimo

Não entendeu a palavra?

Pesquise o termo técnico!




Pesquise no universo do Portal do Geólogo!

Digite uma palavra na caixa abaixo e estará pesquisando centenas de milhares de matérias armazenadas no nosso site.

 

 

palavra com mais de 2 letras
O Portal do Geólogo    Editor: Geólogo Pedro Jacobi