O Portal do Geólogo
17/7/2019 19:42:43

A Crise Energética chegou: o que podemos fazer?



Publicado em: 9/3/2015 17:58:00

Nada melhor que uma rápida resposta governamental às pressões avassaladoras de uma crise que parece não ter fim.

Desde o dia 1 de junho de 2001, quando começou uma das mais graves crises energéticas do Brasil estamos, quase sempre, a dois passos de mais um apagão.

Por que vivemos com o medo do racionamento de energia nestes últimos 14 anos?

O motivo é sempre o mesmo, independente do governo: a falta de investimentos, a falta de planejamento e a falta de gestão.

Foi assim com FHC, foi assim com Lula e está sendo assim com Dilma.

Enquanto as indústrias crescem e se multiplicam e a população migra para os centros urbanos já congestionados e precários o país fica cada vez mais dependente das chuvas e das rezas, pois investimento sério e definitivo, que é bom, nada.

Aliás, o novo Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, seguindo a linha do seu infame antecessor Lobão, que ainda não consegue sair das manchetes da corrupção, onde está atolado até o pescoço, disse recentemente que “Deus é brasileiro e que vai fazer chover”.

Frase que poderia muito bem ser substituída por “vamos investir US$40 bilhões em energia nos próximos quatro anos “.

Frase que, obviamente, nunca foi dita ou será dita nesse governo, que prefere apelar para a religiosidade dos seus cidadãos e culpar, à Deus sobre todas as coisas...

Seria essa a atitude esperada de um governo sério?

Tanto Braga como Lobão fizeram a dança da chuva apelando para tudo e para todos e parece que “Deus”, sempre ele, atendeu.

Está chovendo “rios” em S. Paulo. Os políticos que nada ou pouco fizeram, celebram...

É uma boa notícia para a população no presente e uma péssima notícia para a mesma população no futuro. Agora que está chovendo os políticos não sentem a mesma pressão de um mês atrás e já começam a congelar investimentos e engavetar planos.

Planos, que não tinham o devido suporte financeiro, diga-se de passagem.

Foi assim no passado recente e continua sendo assim agora que temos um país quase quebrado política e financeiramente.

A luz pode vir, mais uma vez, da iniciativa privada.

O Governo do Rio Grande do Sul está empenhado em criar mais uma PPP (plano estadual de parcerias público-privadas ).

Esta PPP visará uma parceria da CEEE com a iniciativa privada para explorar as jazidas de carvão que existem no Estado, que já estão na mão da CRM (Companhia Riograndense de Mineração). O Governo Gaúcho espera poder gerar, através dessa parceria, a energia que tanto o RS como o Brasil precisam.

Esta iniciativa, é óbvio, já devia ter ocorrido há décadas.

Na década de 90 esse plano de PPP foi contemplado pela Rio Tinto, Copelmi e o Governo Gaúcho, que pouco ajudou para que o negócio fosse concretizado. Este projeto teria criado novas usinas termoelétricas no Estado que, como se sabe, não são desligadas quando a seca vem...

O resultado está aí.

O Rio Grande do Sul, com um rombo de R$5,4 bilhões, não tem dinheiro para pagar os servidores e busca, desesperadamente, soluções de curto e médio prazo.

Daí a necessidade de apelar apara a iniciativa privada, que tanto no Sul como em qualquer outra parte do Brasil, poderia estar sendo convocada pelos Governos para criar e desenvolver novos projetos impactantes.

Infelizmente o governo parece mais interessado em sugar os recursos da iniciativa privada aumentando incrivelmente a carga tributária e matando aquela que pode ser a única solução para a crise que estamos vivendo.

Em consequência o brasileiro está sendo agraciado com uma conta de energia elétrica que vai simplesmente destroçar a economia do povo e das indústrias. Tudo por falta, total e absoluta, de investimentos que o setor sempre necessitou, mas nunca foram feitos.

A crise é “passageira”, segundo disse Dilma em mais um discurso inócuo e sem foco que culpa a crise internacional, mais uma vez e deixa de lado a corrupção instalada no seu governo, mais uma vez...

A nossa Presidenta, mal informada, ainda culpa uma crise que já se extinguiu nos quatro cantos do planeta.

Aquela crise que já acabou nos Estados Unidos que hoje cresce 5% ao ano, ou na Índia que também cresce a mais de 5% ao ano, na China que, coitada, está reduzindo o crescimento para 7% ao ano e ate na combalida Europa que vai crescer 1,5% em 2015 .

Mais uma vez vemos um discurso apelativo, sem números e sem objetividade em um momento em que o País se apequena por falta de liderança e excesso de problemas.

Talvez o Ministro Braga esteja certo: só nos resta mesmo é rezar...

Autor:   Pedro Jacobi - O Portal do Geólogo

  

 


agua energia polemicos geoambiente    4469
12.000 ANOS DE ABANDONO  um livro de Pedro Jacobi

Caro usuário do Portal do Geólogo
Se você gosta de descobertas arqueológicas inéditas no meio da Amazônia vai gostar do livro que estou lançando. É um não ficção sobre uma pesquisa real que estou fazendo.

Com o avanço do desmatamento e com o auxílio da filtragem digital em imagens de satélites, descobri nada menos do que 1.200 belíssimas construções milenares, no meio da Amazônia — totalmente inéditas.

São obras pré-históricas, algumas datadas em 6.000 anos, incrivelmente complexas e avançadas — as maiores obras de aquicultura da pré-história que a humanidade já viu.
Neste livro você se surpreenderá com essas construções monumentais, grandiosas e únicas, feitas por aqueles que foram os primeiros arquitetos e engenheiros do Brasil.
Trata-se de importante descoberta arqueológica que vai valorizar um povo sem nome e sem história. Um povo relegado a um plano inferior e menosprezado pela maioria dos cientistas e pesquisadores.

Dele quase nada sabemos. Qual é a sua etnia, de onde veio, quanto tempo habitou o Brasil e que língua falava são pontos a debater.
No entanto o seu legado mostra que ele era: muito mais inteligente, complexo e tecnológico que jamais poderíamos imaginar.
Foram eles que realmente descobriram e colonizaram a Amazônia e uma boa parte do Brasil.
E, misteriosamente, depois de uma vida autossustentável com milhares de anos de uma história cheia de realizações eles simplesmente desapareceram — sem deixar rastros.
Para onde foram?

Compre agora!
O livro, um eBook, só está à venda na Amazon. Aproveite o preço promocional!


Jacobi Consultoria
Minerador, quer negociar a sua área, ganhar dinheiro com a mineração, atrair sócios estrangeiros ou pesquisar os minérios em sua área? Por que esperar mais?

Só para você: veja as matérias que selecionamos sobre o assunto:

Baixíssima atividade solar: cientistas apontam para a possibilidade de uma nova mini era do gelo em poucos anos 24/4



Trump pode ser o catalizador de um novo boom na mineração 10/11

Conselhos ao geólogo recém-formado 8/9

Mini Era Glacial? O que esperar do futuro próximo 7/1

Anomalia: Sol sem atividades magnéticas pode significar o início de uma mini era glacial 30/6

Exploração espacial: a nave asteroide 7/6

A corrupção e o empresário brasileiro. Valeu a pena? 24/5

Agora que decapitaram o Cunha será que vão aprovar o malfadado código mineral? 5/5

Commodities em alta conspiram a favor da mineração 20/4

Mercados mundiais reagem à subida dos preços das commodities: mineradoras decolam 13/4

Delação mostra ex-ministro de Minas e Energia como captador de propina do PMDB 7/4

Você já fez a sua offshore hoje? 4/5

Por que os investidores das grandes mineradoras estão sorrindo? 30/3

O Portal do Geólogo

Geologia e Mineração contadas por quem entende

Desde 27/3/2003

Não entendeu a palavra?

Pesquise o termo técnico!




Pesquise no universo do Portal do Geólogo!

Digite uma palavra na caixa abaixo e estará pesquisando centenas de milhares de matérias armazenadas no nosso site.

 

 

palavra com mais de 2 letras
O Portal do Geólogo    Editor: Geólogo Pedro Jacobi