O Portal do Geólogo
9/12/2019 02:01:13

Desastre da Samarco: a lama analisada em Baixo Guandu está contaminada por arsênio



Publicado em: 14/11/2015 19:10:00

As notícias divulgadas pela Samarco de que a lama era “felizmente” inerte parece não ser verdade.

Análises feitas pela Prefeitura de Baixo Guandu (parabéns ao Prefeito pela agilidade) mostram que a lama tem teores elevados de arsênio (2,63mg/L) que atingem, na amostra analisada, um valor dez vezes maior do que a OMS considera aceitável para a ingestão humana e 20 vezes maior do que o recomendado como valor máximo permitido pela Sabesp.

Nos Estados Unidos o nível de arsênio aceitável na água é de apenas 10 microgramas por litro, centenas de vezes menor do que o nível de arsênio analisado na lama da Samarco.

Da mesma forma o chumbo total analisado na lama (1,03mg/L) é 10 vezes mais elevado do que o nível aceitável pela Sabesp. Outros elementos pesados como o níquel (1,275mg/L) e o cromo (3,84mg/L) estão, também, muito elevados na amostra coletada e muito acima do que o Ministério da Saúde recomenda.

(VEJA O RELATÓRIO DA LAMA FEITO PELA  PREFEITURA DE BAIXO GUANDU)


Se esses elementos tóxicos contaminarem as águas superficiais e subterrâneas o desastre será imensamente maior do que estamos imaginando.

Para exemplificar o tamanho do problema os níveis de arsênio detectados, possivelmente inorgânico, quando ingeridos pela população poderão, ao longo do tempo, levar a sérias doenças e ao câncer.

Se a lama não for retirada existe o perigo iminente da contaminação das águas.

É urgente que novas análises sejam feitas para confirmação do nível de contaminação desta lama, ao longo da calha do Rio Doce. Também ao longo do rio deve ser iniciado, urgentemente, um monitoramento das águas superficiais e subterrâneas que poderão ser contaminadas com o tempo caso a lama (se tóxica) não seja retirada.




Autor:   Pedro Jacobi - O Portal do Geólogo

  

 


editoriais agua geoambiente geologia    5295
12.000 ANOS DE ABANDONO  um livro de Pedro Jacobi

Caro usuário do Portal do Geólogo
Se você gosta de descobertas arqueológicas inéditas no meio da Amazônia vai gostar do livro que estou lançando. É um não ficção sobre uma pesquisa real que estou fazendo.

Com o avanço do desmatamento e com o auxílio da filtragem digital em imagens de satélites, descobri nada menos do que 1.200 belíssimas construções milenares, no meio da Amazônia — totalmente inéditas.

São obras pré-históricas, algumas datadas em 6.000 anos, incrivelmente complexas e avançadas — as maiores obras de aquicultura da pré-história que a humanidade já viu.
Neste livro você se surpreenderá com essas construções monumentais, grandiosas e únicas, feitas por aqueles que foram os primeiros arquitetos e engenheiros do Brasil.
Trata-se de importante descoberta arqueológica que vai valorizar um povo sem nome e sem história. Um povo relegado a um plano inferior e menosprezado pela maioria dos cientistas e pesquisadores.

Dele quase nada sabemos. Qual é a sua etnia, de onde veio, quanto tempo habitou o Brasil e que língua falava são pontos a debater.
No entanto o seu legado mostra que ele era: muito mais inteligente, complexo e tecnológico que jamais poderíamos imaginar.
Foram eles que realmente descobriram e colonizaram a Amazônia e uma boa parte do Brasil.
E, misteriosamente, depois de uma vida autossustentável com milhares de anos de uma história cheia de realizações eles simplesmente desapareceram — sem deixar rastros.
Para onde foram?

Compre agora!
O livro, um eBook, só está à venda na Amazon. Aproveite o preço promocional!


Jacobi Consultoria
Minerador, quer negociar a sua área, ganhar dinheiro com a mineração, atrair sócios estrangeiros ou pesquisar os minérios em sua área? Por que esperar mais?

Só para você: veja as matérias que selecionamos sobre o assunto:

Mineração: quem vai tapar os buracos amanhã? 22/7

O dilema da Vale 20/6

Samarco, um caso mal resolvido 14/6

Samarco: quatro meses sem ela 15/3

Caso Samarco: BHP está sendo processada nos Estados Unidos, Vale será a próxima 26/2

Vale declara prejuízo de R$44,2 bilhões em 2015 25/2

Minério de ferro em alta, mas Vale continua em queda afetada pelos efeitos Samarco e Brasil 24/2

Vale em cheque! Porto de Tubarão fechado 25/1

O efeito Samarco: Minas Gerais em crise 17/1

Samarco: a hora das responsabilidades 14/1

Vale busca financiamentos para fazer frente à falta de liquidez 12/1

Justiça congela ativos da BHP e Vale no Brasil 22/12

Samarco, Vale e BHP se esquivam, mas justiça aperta o cerco 11/12

O fim da mineração? 3/12

O Portal do Geólogo

Geologia e Mineração contadas por quem entende

Desde 27/3/2003

Não entendeu a palavra?

Pesquise o termo técnico!




Pesquise no universo do Portal do Geólogo!

Digite uma palavra na caixa abaixo e estará pesquisando centenas de milhares de matérias armazenadas no nosso site.

 

 

palavra com mais de 2 letras
O Portal do Geólogo    Editor: Geólogo Pedro Jacobi